30 de dezembro de 2013

Dicas para minimizar o medo que os animas tem de fogos de artifício


cachorro, gatos, medo, barulho, como cuidar, cuidado

Oi gente, como foi o Natal de vocês? Espero que feliz e gordo toda vida! hehe! ;p


Então, eu estou meio sumida, mas todo mundo entende né, afinal fim de ano é fim de ano, e apesar de estar trabalhando como sempre, parece que todo dia é domingo. Mas tirei um tempinho para vir dividir com vocês um texto com dicas para mantermos nossos animaizinhos o mais tranquilo possível na virada do ano, onde a grande maioria das pessoas insistem em soltar vinte horas seguidas de fogos de artifícios. 


Acho que nunca contei aqui, mas eu sou mãe/irmã/dona/amiga de dois gatinhos, a Tica e o Lolo, e de um cachorro, o Dom, e apesar de amar a festa de ano novo sou bem ranzinza quanto os fogos, aqueles bonitões eu ainda meio que entendo, mas os que só fazem barulho eu nunca entenderei. E não só porque tenho meus amigos aqui que sofrem muito com tanto barulho, mas porque acho burro mesmo comemorar qualquer coisa com uma coisa que só assusta quem ouve. 

Mas já que nem todos pensam como eu, o jeito é tentar minimizar ao máximo o sofrimento dos meus filhotes no dia 31, principalmente o Dom que sofre muito com o barulho. Por isso resolvi divulgar aqui no blog, para quem tem amigos peludos como eu, o texto do União Libertária Animal, que é muito interessante e útil, é um pouco grande mas vale muito a pena! ;)

Os Perigos dos Fogos: 

 
- Fugas - tornando-se animais perdidos, atropelados e que vão provocar acidentes;
- Mortes - enforcando-se na própria coleira quando não conseguem rompê-la para fugir; atirando-se de janelas; atravessando portas de vidro; batendo a cabeça contra paredes ou grades;
- Graves ferimentos - quando atingido ou sem saber abocanhando um rojão achando que é algum objeto para brincar;
- Traumas - com mudanças de temperamento para agressividade;
- Ataques - investidas contra os próprios donos e outras pessoas;
- Brigas - com outros animais com os quais convivem, inclusive;
- Mutilações - no desespero de fugir chegam a se mutilar ao tentar atravessar grades e portões;

- Convulsões (ataques epileptiformes);
- Morte e alteração do ciclo reprodutor dos animais da fauna silvestre;
- Afogamento em piscinas;
- Quedas de andares e alturas superiores; 
- Aprisionamentos indesejados em porões e em lugares de difícil acesso;
- Paradas cardiorespiratórias etc..

Recomendações para Com os Animais:
- Acomodar os animais dentro de casa, em lugar onde possam se sentir em segurança, com iluminação suave e se possível um radio ligado com música;
- Fechar portas e janelas para evitar fugas e suicídios;
- Dar alimentos leves, pois distúrbios digestivos provocados pelo pânico podem matar (torção de estômago, por exemplo);
- Cobrir gaiolas de pássaros e checar cercados de animais (cabras, galinhas etc.);
- Cobertores pesados estendidos nas janela abafam o som, assim como cobertores no chão ou um edredom sobre o animal;
- Não deixar muitos cães juntos, pois, excitados pelo barulho, brigam até a morte. Tente deixá-los em quartos separados pois, na hora dos fogos, eles poderão morder-se uns aos outros, no desespero; 
- Um pouco antes da meia-noite leve seu animal para perto da tv ou de um aparelho de som e aumente aos poucos o volume de tal forma que ele se distraia e se acostume com um som alto. Assim não ficará tão assustado com o barulho intenso e inesperado dos fogos;
- Procurar um veterinário para sedar os animais no caso de não poder colocá-los para dentro de casa. Animais acorrentados acabaram se enforcando em função do pânico;
- Alguns veterinários aconselham o uso de tampões de algodão nos ouvidos que podem ser colocados minutos antes e tirados logo após os fogos;
- Assim como calmantes naturais que apresentam resultado bastante eficiente para os animais que historicamente apresentam o estresse.

Recomendações para com Gatos:
- Escolha um quarto da casa que tenha uma cama e um armário, e prepare para ser o quarto dos gatos no reveillon.
- Abra um ou dois armários e coloque cobertores para forrar e formar tocas confortáveis;
- Desarrume a cama e coloque cobertores formando tocas; tocas embaixo da cama também são boas;
- Feche toda a janela, passe a cortina e, se possível, encoste um colchão na janela para abafar o barulho;
- Água, comida e caixinha de areia devem ficar distribuídos estrategicamente pelo quarto, sempre encostados na parede, para evitar serem derrubados e tudo acabar na maior sujeira;
- Tire qualquer coisa que possa ser derrubada, quebrada, derramada;
- Feche os gatos neste quarto a partir dos primeiros rojões e deixe-os lá. Deixá-los soltos aumenta o medo, a correria e o desespero, e eles acabam se enfiando em lugares como embaixo da máquina de lavar e da geladeira; 
- Para quem mora em casa, com gatos que tem acesso à rua, recolha os gatos antes do pôr-do-sol e feche-os da mesma maneira. Na rua é mais perigoso, pois, quando se assustarem, podem se perder. Além disso, podem ser alvo de maus-tratos;

Florais de Bach:
As essências abaixo, combinadas, funcionam bem tanto para cães quanto para gatos:
RESCUE + MIMULUS + ASPEN + ROCK ROSE + CHERRY PLUM
Mande fazer em qualquer farmácia de manipulação ou homeopática SEM ÁLCOOL
NEM GLICERINA, e guarde na geladeira (dura todo o vidrinho, apesar de dizerem na farmácia que dura só 2 dias).

DOSAGEM:
- Para aves pequenas: 2 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro; 
- Para aves médias: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, pode ser colocada no bebedouro; 
- Para cães de pequeno e médio porte e gatos: 4 gotas da fórmula, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha; 
- Para cães de grande porte e gigantes: 6 gotas, 4 vezes ao dia, diretamente na boquinha de seu amigão; 
- Para cavalos ou animais de grande porte: 30 gotas, 4 vezes ao dia, no bebedouro.
Para se ter absoluto sucesso no tratamento, é interessante que se tenha continuidade no mesmo, não esquecendo de ministrar as gotinhas regularmente. Aconselha-se a começar o tratamento, pelo menos, 5 dias antes do natal e estendê-lo até o dia 3 de janeiro, já que algumas pessoas insistem em prolongar a barulheira!.

Aromaterapia: 
Óleo essencial de Manjerona: coloque 5 gotas em 100 ml de álcool num borrifador e, borrife os cômodos da casa (cuidado com o chão e móveis) 3 vezes ao dia, no dia da festa.
Além disso, você pode pingar 2 gotinhas na caminha do animal à tardinha. No horário do foguetório, coloque 2 gotinhas na caminha do animal ou onde ele fica - no caso de aves, passar um pano no fundo da gaiola com o óleo e o álcool. Em animais maiores pingar 5 gotinhas na baia, etc.
Se em sua cidade, você não encontrar o óleo essencial de manjerona, pode usar o óleo essencial de lavanda francesa - mesmas indicações.
Importante: Procure uma boa loja de produtos naturais, ou farmácia de manipulação ou farmácia homeopática - compre óleos essenciais naturais. Os sintéticos, além de não provocarem o efeito desejado, ainda podem causar alergias respiratórias.

Em países da Europa só é permitido soltar fogos em áreas previamente estabelecidas para não prejudicar a fauna. Prevenir é o ideal, pois são poucos os veterinários disponíveis no primeiro dia do ano.

Espero que tenham gostado e que seja muito útil!
Beijos

2 comentários:

  1. Oii! Adorei as dicas, pois o meu cachorro quase morreu no ano passado devido aos fogos de artifícios. Ele fugiu do canil, quebrou uma janela e se corou todo com os cacos de vidro, mas ele ficou bem graças a Deus! Esse ano vai ser dose... :/ Vou comprar esse Florais de Bach pra ver se resolve. Sorte pra mim! rs
    Feliz Ano Novo e tudo de bom para 2014! :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Rayane, tadinho do seu cachorro! ;/
      Eles sofrem com essa barulheira toda né?
      Mas que bom que as dicas foram úteis, espero que tenha dado tempo de conseguir os florais.

      Feliz ano novo pra você também! :)

      Beijos

      Excluir

Obrigada por comentar! :)